segunda-feira, 6 de junho de 2011

Diferença entre Desculpa e Perdão

Infelizmente nosso idioma é cheio de sinônimos além de diversas influencias culturais e filosóficas que supervalorizam, ou não, uma palavra em relação a outra.

Para começar quero refletir em algumas perguntas:

  • Qual a diferença entre pedir “Desculpa” e “Perdão” ?
  • O que é ser “Desculpado”, ou ser “Perdoado” ?
  • Qual a origem destas palavras e seus conceitos ?
  • Porque a Bíblia não fala de “Desculpa”?
  • Quando pedir “Desculpa” ou “Perdão” ?

Para começar quero destacar algumas palavras baseada no dicionário:

Desculpa
s.f. Ação de desculpar ou de se desculpar.
Razão ou motivo para atenuar ou eximir da culpa; justificativa.
Escusa; pretexto.
Indulgência, perdão.
Dicionário Houaiss: «ato ou efeito de desculpar(-se); clemência para com falta cometida; perdão; razão ou motivo alegado por alguém para desculpar a si mesmo ou a outrem; justificativa». Além disso, ainda significa «motivo invocado como subterfúgio; pretexto» ou «arrependimento de quem julga ter ofendido, contrariado ou aborrecido outrem». Trata-se de derivação regressiva de desculpar.

Perdão
s.m. Remição de uma falta ou ofensa.
Fórmula de polidez empregada quando se perturba alguém: (peço) perdão
Dicionário Houaiss: «remissão de pena ou de ofensa ou de dívida; desculpa, indulto» ou «ato pelo qual uma pessoa é desobrigada de cumprir o que era de seu dever ou obrigação por quem competia exigi-lo». Como interjeição, trata-se de «fórmula de civilidade com que se pede desculpa». Este termo vem «do latim medieval perdonet, "que ele perdoe", 3.ª pessoa do subjuntivo presente do verbo perdonare» Perdoar vem do latim tardio ‘perdonare’ (este, sim, de per-+ 'donare', dar). Significa «deixar de querer mal a alguém responsável por um acto desagradável, hostil, que o prejudicou ou fez sofrer, renunciando à aplicação de um castigo ou punição; não guardar ressentimento em relação a um agravo.» O mesmo que absolver, desculpar, esquecer.

Remir
v.t. Redimir, resgatar, readquirir.
Libertar do cativeiro, do poder do inimigo.
Teologia Salvar, livrar das penas do inferno.
Expiar: remir os seus pecados.
Libertar uma propriedade de um ônus pelo pagamento deste: remir um foro.

Refletindo sobre a Desculpa

Você só pode “Desculpar” alguém que de fato é “culpado”, mas o problema muitas vezes é fazer a pessoa enxergar a sua culpa, pois é impossível desculpar alguém que não se sente culpado.

A culpa pesa, dói, entristece, dá medo, impõe castigo, pena.

Uma forma de desculpar é entender e aceitar o motivo das justificativas do culpado pelo ato, e julgando assim as causas que geraram esta culpa.
(exemplo: matar por defesa própria, roubar comida para não morrer de fome)

Hoje a maioria das pessoas são “mentirosas descaradas” e para não serem culpadas por qualquer erros vivem dando desculpas baseadas em justificativas mentirosas.

Quando você desculpa alguém você apenas está se preocupando com a culpa, ou com o fato, ou a atitude, e não de fato com a pessoa culpada.

Refletindo sobre o Perdão

O perdão está relacionado com o amor, pois redime o culpado, o perdão pode não necessariamente irá retirar a culpa, mas irá amar o culpado.

O exemplo do filho Prodigo em Lucas 15 , mostra a pratica do Amor citado em 1º Corintios 13, que é o amor de um Pai, um amor de nosso Deus, que é Amor (1º João 4:8), que ”… é paciente, … é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta

Veja uma mãe que tem um filho drogado ou ladrão, ela sabe que o filho tem culpa, mas mesmo assim ela sempre perdoa o filho. Afinal qual pai ou mãe não está sempre disposto a perdoar o filho por qualquer erro ?

Assim o perdão aproxima o culpado da pessoa prejudicada, e não apenas retira a culpa do culpado, mas cria um vinculo de amor e misericórdia.

O perdão aproxima, sem guardar rancor, magoas, pois é baseado em amor, e não em leis de justiça!

Conclusão

Desculpar, é tirar a Culpa!
Perdoar é Amar o Culpado!

Há uma musica infantil “A Roda do Perdão”, onde diz que perdoar é esquecer, e perdoou está perdoado!

As crianças sabem o que é perdoar mais do que a gente, elas brincam e brigam a todo momento, sempre perdoando, sempre amando os amiguinhos, sem orgulho próprio, sem guardar mágoa, e Jesus nos mostrou esse exemplo quando disse:

"Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus. Portanto, quem se faz humilde como esta criança, ...” ( Mateus 18:3 )

Quando se ama, não há a preocupação da culpa, independente de quantas vezes a pessoa errar quem ama irá sempre perdoar, foi isso que Jesus quis explicar a Pedro:

Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: "Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes? " ( Mateus 18:22 )

Uma criança não julga, não condena, ela quer apenas brinca, amar e quer ser amada, ela também erra, fica brava, irritada, mas logo tudo passa, e logo volta a brincar como se nada tivesse ocorrido.

Tenho duas filhas uma de 1 ano e outra de 4 anos, e como todas crianças, elas erram, aprontam, quebram, desobedecem, e depois da bronca, há um conversa, onde as fazes finais são sempre “Desculpa” e/ou “Te Amo”, mas para mim eu ouço como “Sempre me perdoa, por favor”, e meu coração “Sim sempre te perdoarei porque te amo”, elas brigam entre si toda hora, eu entro separo a briga, e logo depois estão brincando e rindo juntas incontáveis vezes por dia!

A medida do nosso amor é pouca, por isso é difícil perdoar, e Jesus disse:

"Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. (João 13:34 )

Temos que aprender a amar incondicionalmente, sem medo de errar, ou de se entregar em um relacionamento por mais que este possa nos ferir:

“No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor.” ( 1 João 4:18 )

No estudo Stress e Espiritualidade (por Ed Rene) diz:

“O perdão de Deus, por sua vez, quando nos liberta do senso de dívida, nos liberta também da insistência em cobrar nossos devedores, e, nesse caso, transferimos o perdão que recebemos para aqueles que nos devem. A condicional estabelecida por Jesus no Pai Nosso: “perdoa-nos assim como perdoamos”, possui uma explicação simples: quem não perdoa, ainda acredita que deve, e portanto, o perdão recebido é ineficaz; e, quem ainda deve, não perdoa. O perdão de Deus nos liberta tanto de nossa culpa em relação a Ele, Deus, como nos ajuda a libertar os que culpados em relação a nós.”

Agradecimentos

Achei muita coisa interessante buscando referencias na internet e quero aqui citar e agradecer os textos que tomei como base para este artigo.

Obrigado a todos vocês acima citados nestes links, blogs, e fóruns de respostas, por toda inspiração e reflexão sobre o tema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário